Wilder World: um projeto ousado para o metaverso

No mundo dos jogos blockchain, o conceito de metaverso vem sendo cada vez mais discutido e abordado. Inúmeros jogos apresentam suas versões para o que seria essa ideia futurística que está cada vez mais perto de nós e se tornando finalmente real. Nesse contexto, o Wilder World promete introduzir um verdadeiro metaverso gigante e imersivo!

Se você ainda não ouviu falar desse jogo, pare o que está fazendo para ler este artigo, porque pode ser que muito do que conhecemos como experiência online passe a depender do Wilder World. Mas por enquanto isso ainda é apenas um desejo dos desenvolvedores. Dê uma olhada e decida por si mesmo se você acredita que esse plano pode se concretizar!

O QUE É O WILDER WORLD?

A imersão no metaverso de Wilder World começa em Wiami.

Wilder World é muito mais que um jogo. Ele é um mundo virtual imersivo e fotorrealista comandado por sua própria guilda de artistas. Tudo o que faz parte dele são NFTs que podem ser adquiridos pelos usuários.

Sua principal cidade é Wiami, uma versão ultratecnológica de Miami construída em escala real. A cidade foi planejada para ser para o metaverso o que o Vale do Silício é para a tecnologia. Com isso, o plano é que Wiami se torne o centro pulsante do desenvolvimento do metaverso.

Esse projeto está sendo desenvolvido há mais de 7 anos por uma equipe internacional composta por algumas das mentes mais geniais da arte digital. Há desenvolvedores envolvidos na construção desse jogo em mais de 15 países!

O grande diferencial do Wilder World é ser um mundo virtual criado por artistas, funcionando como uma imensa galeria de arte imersiva. Assim, artistas digitais podem desenvolver e comercializar sua arte como parte de um jogo dinâmico e fotorrealista.

ZSPACE E PLATAFORMA ZERO

O projeto de Wilder World vai muito além de um só jogo.

Wilder World é apontado como um rival à altura do Meta, Enquanto o projeto de Mark Zuckerberg tem um iniciativa centralizadora para o metaverso, o Wilder World teria a capacidade de promover acesso diário a uma economia global para bilhões de pessoas de forma descentralizada.

Na verdade, o Wilder World é apenas a ponta de um iceberg. Ele é o primeiro universo de um metaverso muito maior que está sendo planejado, o zSpace. O que marca esse projeto é o uso da plataforma tecnológica Zero.

A ideia por trás da tecnologia Zero é que qualquer um possa criar um mundo virtual, uma DAO e uma criptomoeda no metaverso de zSpace e se tornar parte desse ecossistema. Isso pode permitir tanto a criação de jogos, como de lojas virtuais, plataformas de ensino, entre diversas outras possibilidades.

UM PROJETO OUSADO PARA O METAVERSO

O zSpace quer ser o maior metaverso já criado.

Falamos no nosso artigo sobre o metaverso que esse conceito se refere a uma rede de mundos virtuais que cria uma realidade alternativa. Nesse sentido, o que cada jogo que conhecemos teria hoje não seria especificamente o seu metaverso próprio, mas sim um mundo virtual dentro do metaverso, que é a teia que engloba todos esses mundos.

Mas no caso do zSpace não. Ele pretende justamente ser essa teia. O zSpace quer ser o espaço para o qual todos os mundos virtuais convirjam. Se o projeto vier a alcançar essa pretensão ousada, seria possível acessar todos os jogos play to earn que existem hoje, com seus próprios mundos virtuais, através de uma só plataforma, a Zero.

É claro que isso por enquanto é apenas a pretensão do projeto. Até onde ele vai chegar nesse objetivo só veremos com o tempo. Mas é muito provável que, se não for o zSpace, em algum momento outra plataforma, ou algumas delas, vai conseguir alcançar esse objetivo, concretizando de forma mais forte a ideia de metaverso.

TAMANHO E ESCASSEZ

A área total para construção de mundos virtuais do zSpace é bem maior do que a que ocupamos na Terra.

Apesar de sua proposta integralizadora, o metaverso da Zero também possui escassez e não vai crescer indefinidamente. No entanto, o espaço é imenso! O plano é que o tamanho do zSpace seja o seguinte:

  • 1.024 universos, cada um contendo 256 galáxias.
  • 262.144 galáxias, cada uma contendo 256 mundos.
  • 67.108.864 mundos.
  • 471.859.200 km2 de área total (93% da superfície da Terra).

O ser humano atualmente ocupa apenas cerca de 15% da superfície da Terra, considerando que a maior parte do planeta é coberto de água e nem todas as partes de terra firme são habitadas. Então, apesar de escasso, esse metaverso é incrivelmente grande.

READY PLAYER ONE

O filme Ready Player One é um precursor da ideia de metaverso.

Wilder World é muito comparado ao OASIS, mundo virtual de Ready Player One. Essa obra de ficção de Ernest Cline foi lançada como livro em 2011 e adaptada para o cinema por Steven Spielberg em 2018.

A história de Ready Player One se passa em 2045, em um mundo devastado pelas mudanças climáticas e por uma crise energética. Como alternativa a esse cenário, as pessoas passam a viver a maior parte do tempo imersas em OASIS.

Ao mesmo tempo em que OASIS é um jogo MMORPG acessado com dispositivos de realidade virtual, ele também é uma nova forma de organização da sociedade. Nela, é criada uma economia alternativa, e sua moeda passa a ser a mais importante do mundo.

Pelo seu caráter imersivo e sua importância para a organização social na história do romance, OASIS passou a ser considerado uma referência de como um dia o metaverso de fato vai ser. E agora a aposta é que Wilder World talvez possa concretizar esse modelo.

COLEÇÕES DE NFTS

Um carro da coleção Wilder Wheels.

Já existem algumas coleções de NFTs que podem ser adquiridas em Wilder World.

Os Air Wilds são tênis que podem ser usados pelos avatares. Cada um deles têm habilidades especiais que são adquiridas pelos jogadores que os utilizam. Inicialmente foram lançados 99 pares, que foram leiloados em setembro de 2021.

A Wilder Wheels é uma coleção de carros lançada em outubro de 2021, com 10.101 unidades. Eles podem ser conduzidos livremente por Wiami. A Wilder Wheels também é a responsável pela introdução da jogabilidade play to earn em Wilder World, a partir de corridas disputadas entre os jogadores.

Os Wilder Cribs são imóveis de luxo localizados no Edifício Qube, no centro de Wiami. Já os Wilder Crafts são veículos voadores raros, tendo sido lançados apenas 99 unidades deles.

Em breve, serão lançados também motos e animais de estimação. Além disso, começarão a ser vendidas terras no jogo.

TOKENS

Token $WILD.

Existem 4 tokens ligados a esse projeto: $LOOT, $III, $ZERO e $WILD.

O LOOT serve para que os artistas possam criar NFTs no universo de Wilder World. Sempre que for cunhado um NFT, o criador dele precisa comprar e fazer staking de LOOT. Isso sustenta um fundo que serve para a própria realocação de recursos por parte da governança do jogo. Esse processo também garante que a criação de NFTs ocorra com maior critério e qualidade.

O Infinity Token (III) dá um passo além. É necessário comprá-lo e fazer staking dele para criar mundos, galáxias ou universos no zSpace. Com isso, ele forma um fundo de reserva para o jogo. Ele também vai funcionar como moeda de conversão entre os tokens dos diferentes mundos.

O token ZERO é um investimento no zSpace. A cada vez que o metaverso se expande com a formação de novos mundos, os detentores do token são recompensados de forma proporcional com o token específico do novo mundo criado.

Já o WILD é o token de governança (DAO). Mas ele também o token específico do mundo de Wilder World dentro do zSpace, sendo usado para comprar NFTs no marketplace do jogo.

Diferente do Meta, o zSpace não tem fins lucrativos. Pelo contrário, a ideia é que todo o lucro alcançado seja dividido entre os detentores dos tokens do ecossistema.

CONTINUE ATENTO!

Quem acompanha a P2E CREW sabe que a gente sempre traz em primeira mão as maiores novidades dos jogos play to earn e do desenvolvimento do metaverso. Se você não quer perder as próximas novidades, continue ligado nas nossas publicações.

Também não se esqueça de participar do nosso Discord e nos seguir nas nossas demais mídias sociais para tirar suas dúvidas e acompanhar nossas discussões!

Deixe um comentário